Discutir a adoção de um acordo internacional, juridicamente vinculativo, para a conservação e o uso sustentável da biodiversidade marinha. É este o objetivo de governos e especialistas que participam esta semana numa conferência promovida pela Organização Marítima Internacional, OMI.

A ideia não é nova, já foi adotada para gerir outros recursos do mar. Mas como explica à ONU news o especialista em direito do mar, Vasco Becken-Weinberg pretende-se agora ir mais longe.